quarta-feira, 31 de março de 2021

Fechamento - Março 2021

 Atualização da carteira em 31/03/2021:


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 6,55% no mês (Ibovespa 5,99%)
... valorizou 1,28% no ano (Ibovespa -2%)
... tem uma rentabilidade histórica de 91,87
%
... teve um crescimento do capital de 6,78% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 410,61% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 1,71% (no ano, 1,79%)
Yield do TD no mês: 0,00% (no ano, 3,89%)
Yield em março: 1,50% (no ano, 2,05%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:

Ações:

ABEV3        5,78% 
CIEL3          1,10
GRND3       5,98%
ITUB3         8,67%
LEVE3        3,80%
LREN3        6,30%
MDIA3         6,06%
PSSA3        5,79%
TAEE11     10,56%
VALE5       21,43% 
WEGE3     24,53%

TD:
NTN-F 010123  12,85
NTN-F 010125  12,84%
NTN-F 010127  14,59%
NTN-F 010129  14,50%
NTN-F 010131  45,22%


Caso você goste de ouvir uma música enquanto lê o resumo do mês, deixo aqui uma sugestão: 

MPB4 - Pesadelo


Mês de muito trabalho. De muito aprendizado. E de muita tristeza. Que os próximos meses sejam melhores para todos nós.

Mas se parar de piorar a situação do nosso querido Brasil, já está valendo.

Proventos:

- ITUB3 R$0,25/ação* 
- VALE3 R$4,13/ação*
- WEGE3 R$0,41/ação*
- MDIA3 R$0,0425/ação*

Compras de março: Porto Seguro e M. Dias Branco.

Proventos previstos para abril: 

- ITUB3   R$0,015/ação
- PSSA3  R$1,70/ação*
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

A partir dos últimos dias de janeiro as empresas listadas na B3 começaram a divulgar seus balanços anuais e, como consequência, do quarto trimestre de 2020. 

Abaixo, listo a relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 4t20 e também o anual:

                               4T20              (2020)
Ambev:               R$ 6,786B    (R$ 11,379B)
Cielo:                  R$  298M       (R$ 490M)
Grendene:          R$  308M       (R$ 405M)
Itaú:                    R$ 7,636B   (R$ 18,961B)
Lojas Renner      R$ 350M      (R$ 1,096B)
Metal Leve          R$ 100M        (R$124M)
M. Dias Branco   R$209M        (R$ 763M)
Porto Seguro:     R$ 407M       (R$ 1,688B)
Taesa:                R$ 828M       (R$ 2,262B)
Vale:                   R$ 4,824B   (R$ 26,712B)
Weg:                   R$ 742M      (R$ 2,340
B)

Post revisado em 01/04, após a divulgação dos resultados da M. Dias Branco.

Bom, era isso. Um ótimo mês de abril a todos!

segunda-feira, 15 de março de 2021

Proventos e Investimentos - Março 2021

 Parcial de março: 


Carteira 3,56% x 4,37% Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 0% no mês (3,89%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3 R$0,25/ação* 
- VALE3 R$4,13/ação*
- WEGE3 R$0,41/ação*

Yield de 1,729% no mês (1,813% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Em valores absolutos, é o melhor mês de março desde o começo da carteira com relação aos proventos.

Compras do mês: Porto Seguro.

Bom, era isso. Um ótimo final de março a todos!

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Fechamento - Fevereiro 2021

 Atualização da carteira em 26/02/2021:



Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma desvalorização de -4,33% no mês (Ibovespa -4,37%)
... desvalorizou -4,95% no ano (Ibovespa -7,54%)
... tem uma rentabilidade histórica de 80,40
%
... teve um crescimento do capital de -3,97% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 378,20% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,032% (no ano, 0,085%)
Yield do TD no mês: 0,00% (no ano, 3,89%)
Yield em fevereiro: 0,028% (no ano, 0,56%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:



Ações:

ABEV3        5,72% 
CIEL3          1,15
GRND3       5,81%
ITUB3         8,71%
LEVE3        3,15%
LREN3        5,86%
MDIA3         5,59%
PSSA3        5,03%
TAEE11      8,95%
VALE5       22,32% 
WEGE3     27,71%

TD:
NTN-F 010123  12,52
NTN-F 010125  12,67%
NTN-F 010127  14,59%
NTN-F 010129  14,63%
NTN-F 010131  45,59%


Caso você goste de ouvir uma música enquanto lê o resumo do mês, deixo aqui uma sugestão: 

                                                                          Led Zeppelin - Achilles Last Stand (Live Knebworth 1979)


Final de um ciclo. E mais não conto.rs

Proventos:

- ITUB3 R$0,015/ação
- CIEL3 R$0,053/ação*

Compras de fevereiro: Porto Seguro.

Proventos previstos para março: 

- ITUB3   R$0,25/ação*
- WEGE3 R$0,41/ação*
- VALE3   R$4,13/ação*
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

A partir dos últimos dias de janeiro as empresas listadas na B3 começaram a divulgar seus balanços anuais e, como consequência, do quarto trimestre de 2020. 

Abaixo, listo a relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 4t20 e também o anual:

                               4T20              (2020)
Ambev:               R$ 6,786B    (R$ 11,379B)
Cielo:                  R$  298M       (R$ 490M)
Grendene:          04/03/2021      (R$ 95M)*
Itaú:                    R$ 7,636B    (R$ 18,961B)
Lojas Renner      R$ 350M       (R$ 1,096B)
Metal Leve          15/03/2021     (R$23M)*
M. Dias Branco   01/04/2021     (R$ 292M)*
Porto Seguro:     R$ 407M       (R$ 1,688B)
Taesa:                 03/03/2021   (R$ 1,433M)*
Vale:                   R$ 4,824B   (R$ 26,712B)
Weg:                   R$ 742M      (R$ 2,340
B)

*somatório dos primeiros 9 meses.


Bom, era isso. Um ótimo mês de março a todos!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Proventos e Investimentos - Fevereiro 2021

Parcial de fevereiro: 


Carteira 1,09% x 3,59% Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 0% no mês (3,89%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3 R$0,015/ação 
- CIEL3 R$0,053/ação*

Yield de 0,032% no mês (0,086% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Compras do mês: Porto Seguro.

Bom, era isso. Um ótimo final de fevereiro a todos!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Fechamento - Janeiro 2021

Atualização da carteira em 29/01/2021:



Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma desvalorização de -0,66% no mês (Ibovespa -3,31%)
... desvalorizou -0,66% no ano (Ibovespa -3,31%)
... tem uma rentabilidade histórica de 89,19
%
... teve um crescimento do capital de -0,61% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 397,97% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,05% (no ano, 0,05%)
Yield do TD no mês: 3,89% (no ano, 3,89%)
Yield em janeiro: 0,53% (no ano, 0,53%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:


Ações:

ABEV3        5,91% 
CIEL3          1,26
GRND3       6,04%
ITUB3         9,23%
LEVE3        3,21%
LREN3        6,35%
MDIA3         5,64%
PSSA3        4,92%
TAEE11      9,01%
VALE5       19,91% 
WEGE3     25,52%

TD:
NTN-F 010123  12,14
NTN-F 010125  12,55%
NTN-F 010127  14,57%
NTN-F 010129  14,68%
NTN-F 010131  46,06%


Mês de retorno à rotina e de muito trabalho. Com os devidos cuidados sanitários e de distanciamento, claro. Até a vacina ser universalizada, não vislumbro outra saída.


Proventos:

- ITUB3   R$0,015/ação 
- ABEV3  R$0,0767/ação
- Cupons NTN-F: R$39,15/cupom*

Compras de janeiro: Metal Leve.

Proventos previstos para fevereiro: 

- ITUB3 R$0,015/ação
- CIEL3 R$0,053/ação*

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Bom, era isso. Usem máscara e tomem bastante líquido. Um ótimo mês de fevereiro a todos!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Proventos e Investimentos - Janeiro 2021

 

Parcial de janeiro: 


Carteira 1,89% x -1,37% Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 3,89%* no mês (3,89%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3 R$0,015/ação 

Yield de 0,008% no mês (0,008% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Compras do mês: Metal Leve.

Bom, era isso. Um ótimo final de janeiro a todos!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Planejamento da carteira - controle, projeção e plano de ação para o primeiro semestre 2021

 

Desde que estabeleci objetivos para o meu dinheiro, janeiro e julho deixaram de ser meros meses de balanço: eles passaram a ser mais importantes do que isto.


O fechamento do semestre passou a ser um ponto de chegada/partida importante para a análise do planejamento estabelecido.

Como já expus nas postagens anteriores , cujos links podem ser acessados aquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaqui, aquiaqui, aqui e aqui, a pergunta que me faço nestas horas é: "como estou me saindo?"

Eis a resposta atualizada, tendo por base os dados do 2° semestre de 2020:

Ganhos/Gastos (comparação com 2019)

                               (1° sem)        (2° sem)         (anual)
▲% dos Ganhos:    +14,09%       +2,61%         +8,12%
▲% dos Gastos:     -4,43%          +4,56%          -0,54%

Proporção dos Gastos com relação aos Ganhos:

             (1º sem)       (2° sem)        (anual)  
2020      66,06%        56,58%         61,38%
2019      78,86%        55,52%         66,73%
2018      78,76%        67,14%         72,69%
2017      81,10%        61,56%         69,96%
2016      73,14%        68,47%         70,71%
2015      49,05%        49,20%         49,12%
2014      43,45%        30,71%         35,98%
2013      48,49%        22,37%         33,58%
2012      45,91%        15,52%         27,45%
2011      67,71%        24,09%         40,11%
2010      66,53%        30,70%         44,55%
2009      80,14%        34,32%         51,25%

Meta: 50%

Aportes - proporção dos Aportes com relação aos Ganhos:

            (1º sem)      (2° sem)       (anual)
2020     31,43%        42,26%       36,83%
2019     20,86%        44,22%       32,99%
2018     18,46%        31,73%       25,39%
2017     13,97%        35,84%       26,43%
2016     30,20%        19,73%       24,76%
2015     46,76%        48,74%       47,68%
2014     45,53%        57,84%       52,23%
2013     34,04%        65,88%       52,60%
2012     42,67%        67,89%       56,12% 
2011     16,89%        67,45%       48,36%
2010     26,80%        61,16%       46,93% 
2009     14,36%        59,37%       45,18%

Renda Passiva (Yield) da Carteira:

2020       4,89%
2019       5,98%
2018       6,20%
2017       3,73%
2016       3,51%
2015       4,35%
2014      10,14%
2013      11,82%
2012       9,17%
2011       7,52%
2010       5,00%
2009       8,89%


Meta: 5% 
Uma vez apresentadas as variáveis, passo a comentá-las.


Com relação aos Ganhos:

Mais uma vez começarei o ano com um desafio bem definido: encontrar meios de incrementar a renda ativa, preferencialmente de forma definitiva.

Caso nada seja feito, minha previsão para dezembro/2021 é receber 4,92% menos recursos que em 2020. Numa perspectiva de inflação batendo com força, é um cenário que, definitivamente, não pode ocorrer!


Com relação aos Gastos:

Apesar do saldo final ser de relativa estabilidade, a combinação de fatores fez com que o percentual da relação ganhos/gastos chegasse mais próximo da meta almejada.

Agora é manter o foco, buscando otimizar ainda mais as despesas pessoais e retornar ao patamar de anos anteriores, mas sem grandes privações - a exemplo do que foram os últimos dois anos. 

Com relação aos Aportes:

O aporte semestral ficou 68,59% acima do planejado e, no histórico, 4,28% acima da meta decenal (2015-2024).

O ideal é não depender dessa 'gordura' para alcançar a meta decenal. Mas, diante das circunstâncias, dá um certo alívio saber que eu tenho alguma margem para trabalhar.

Com relação ao Yield:

A base de cálculo do Yield aqui apresentado é diferente da que divulgo mensalmente, pois ela leva em conta o patrimônio bruto (preço de compra, declarado no IRPF) do fechamento do ano anterior; já o Yield divulgado mês a mês tem por base o patrimônio bruto (preço de compra) do fechamento do mês em questão.

Em valores absolutos, houve um incremento de 57,22% nos proventos recebidos quando comparados ao segundo semestre de 2019 (-6,33% no ano).

Outro ponto a ser destacado com relação aos proventos recebidos é que eles corresponderam a 46,46% dos Gastos no semestre (33,62% no ano).


Acredito ser importante fazer também alguns esclarecimentos.

A meta de crescimento do patrimônio para 2020 é a mesma dos anos anteriores: 30%. No ano que passou ele cresceu 25,28%.

A divisão da carteira para 2020 ficou assim estabelecida: 80% Ações e 20% TD. Em dezembro ela se manteve longe disso (89,65% e 10,35%). Por
 ser a maior diferença entre classes de ativos que já tive, ela sugere alguma correção de rota. O mais provável é que eu opte por aportar valores além do reinvestimento dos cupons nos anos vindouros.

Nos últimos seis meses de 2020 não houve acréscimo de ativos novos à carteira, apenas rebalanceamentos. Os aportes reforçaram as posições de Ambev, Grendene, Itaú, Metal Leve, M. Dias Branco e Porto Seguro.

Taesa e Vale seguem sem novos aportes desde desde 2019. Weg e Cielo, desde 2018.

Para o próximo semestre já foram reinvestidos os cupons do TD  em NTN-F 010131 e prosseguirei com o balanceamento da carteira, nos moldes do que já venho fazendo (aporte + reinvestimento). 

Não planejo vender nenhum ativo, mas estou ciente de que pelo menos parte do aporte semestral será destinado para a renda fixa - e desta vez preciso cumprir esta parte.

Bom, era isso. Desejo a todos um 2021 mais tranquilo, na medida do possível.