sexta-feira, 10 de julho de 2020

Planejamento da carteira - controle, projeção e plano de ação para o segundo semestre 2020

Planejamento da carteira - controle, projeção e plano de ação para o segundo semestre 2020

Desde que estabeleci objetivos para o meu dinheiro, janeiro e julho deixaram de ser meros meses de balanço: eles passaram a ser mais importantes do que isto.

O fechamento do semestre passou a ser um ponto de chegada/partida importante para a análise do planejamento estabelecido.

Como já expus aquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaqui, aquiaqui e aqui, a pergunta que me faço nestas horas é: "como estou me saindo?"

Eis a resposta atualizada, tendo por base os dados do 1° semestre de 2020:

Ganhos/Gastos (comparação com 2019)

                               (1° sem)        (2° sem)         (anual)
▲% dos Ganhos:    +14,09%       -7,31%*          2,97%*
▲% dos Gastos:      -4,43%         -3,48%*         -4,02%*
*estimativa

Proporção dos Gastos com relação aos Ganhos:

             (1º sem)       (2° sem)        (anual)  
2020      66,06%        57,82%*        62,20%*
2019      78,86%        55,52%         66,73%
2018      78,76%        67,14%         72,69%
2017      81,10%        61,56%         69,96%
2016      73,14%        68,47%         70,71%
2015      49,05%        49,20%         49,12%
2014      43,45%        30,71%         35,98%
2013      48,49%        22,37%         33,58%
2012      45,91%        15,52%         27,45%
2011      67,71%        24,09%         40,11%
2010      66,53%        30,70%         44,55%
2009      80,14%        34,32%         51,25%
*estimativa

Meta: 50%

Aportes - proporção dos Aportes com relação aos Ganhos:

            (1º sem)      (2° sem)       (anual)
2020     31,43%        40,00%*      36,00%*
2019     20,86%        44,22%       32,99%
2018     18,46%        31,73%       25,39%
2017     13,97%        35,84%       26,43%
2016     30,20%        19,73%       24,76%
2015     46,76%        48,74%       47,68%
2014     45,53%        57,84%       52,23%
2013     34,04%        65,88%       52,60%
2012     42,67%        67,89%       56,12% 
2011     16,89%        67,45%       48,36%
2010     26,80%        61,16%       46,93% 
2009     14,36%        59,37%       45,18%
*estimativa

Renda Passiva (Yield) da Carteira:

2020       1,82%**
2019       5,98%
2018       6,20%
2017       3,73%
2016       3,51%
2015       4,35%
2014      10,14%
2013      11,82%
2012       9,17%
2011       7,52%
2010       5,00%
2009       8,89%


Meta: 5% 
**1º semestre
Uma vez apresentadas as variáveis, passo a comentá-las.

Com relação aos Ganhos:

Nos últimos dois anos a tônica foi de muito empenho para manter a renda numa crescente. Isso vem claramente sendo refletido nos últimos controles semestrais - inclusive este.

Aí chegou a pandemia...

Diante da queda na arrecadação, o órgão onde trabalho decidiu congelar sua folha de pagamento, entre outros cortes de despesas. Assim, qualquer valor adicional que teríamos direito de receber agora só será pago depois que a situação financeira normalizar.

E, para ser sincero, não tenho nem boca para reclamar.

Prefiro agradecer pelo meu emprego e torcer para que a situação melhore o mais rápido possível.


Com relação aos Gastos:

Se antes esta rubrica era importante, agora ela é fundamental.

Como explicado acima, tudo que faço hoje no meu emprego só refletirá financeiramente a médio prazo. 

Assim, nesse cenário de incerteza, 100% do resultado de 2020 - na pior das hipóteses, de 2021 - dependerá de como eu controlo meu orçamento. Até aqui, ele segue nos trilhos.

Com relação aos Aportes:

O aporte semestral ficou 26,15% acima do planejado e, no histórico, 2,84% acima da meta decenal (2015-2024).

O ideal é não depender dessa 'gordura' para alcançar a meta anual. Mas, diante das circunstâncias, dá um certo alívio saber que eu tenho alguma margem para trabalhar.

Com relação ao Yield:

A base de cálculo do Yield aqui apresentado é diferente da que divulgo mensalmente, pois ela leva em conta o patrimônio bruto (preço de compra) do fechamento do ano anterior; já o Yield divulgado mês a mês tem por base o patrimônio bruto (preço de compra) do fechamento do mês em questão.

Em valores absolutos, houve uma queda de 44,35% nos proventos recebidos quando comparados ao primeiro semestre de 2019. Desconsiderando o lucro decorrente da alienação da minha posição em Portobello ano passado, a queda foi um pouco menor, de 9,68%.

Outro ponto a ser destacado com relação aos proventos recebidos é que eles corresponderam a 22,92% dos Gastos no semestre.


Acredito ser importante fazer também alguns esclarecimentos.

A meta de crescimento do patrimônio para 2020 é a mesma dos anos anteriores: 30%. No primeiro semestre ele encolheu 1,71%.

A divisão da carteira para 2020 ficou assim estabelecida: 80% Ações e 20% TD. Em junho ela se manteve longe disso (87,65% e 12,35%).

Sei que a concentração em RV é uma opção arriscada, mas é um risco que o tamanho ainda reduzido do meu patrimônio e minha pouca idade me encorajam a correr. 

Nos primeiros seis meses de 2020 resolvi adicionar o 11º ativo da carteira: Mahle Metal Leve (LEVE3), em março. Os aportes reforçaram as posições de Ambev, Grendene, Lojas Renner, Metal Leve e Porto Seguro.

Itaú, M. Dias Branco, Taesa e Vale seguem sem novos aportes desde desde 2019. Weg e Cielo, desde 2018.

Em março, aproveitei a oscilação nos títulos de longo prazo do Tesouro Direto e optei  por antecipar a venda dos meus títulos NTN-F 010121, cujo valor de mercado era praticamente o de face (R$1.064,74 líquido) e adquiri a mesma quantidade de NTN-F 010131 (R$1.034,25 líquido).

Para o próximo semestre já foram reinvestidos os cupons do TD (NTN-F 010131) e prosseguirei com o balanceamento da carteira, nos moldes do que já venho fazendo (aporte + reinvestimento). 

Não planejo vender nenhum ativo, mas estou ciente de que pelo menos parte do aporte semestral será destinado para a renda fixa. 

Bom, era isso. Desejo a todos um segundo semestre mais tranquilo, na medida do possível.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Fechamento - Junho 2020

Atualização da carteira em 30/06/2020:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 8,10% no mês (Ibovespa 8,74%)
... desvaloriza -4,41% no ano (Ibovespa -17,80%)
... tem uma rentabilidade histórica de 58,58
%
... teve um crescimento do capital de 9,02% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 293,13% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,008% (no ano, 1,44%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 3,87%)
Yield em junho: 0,007% (no ano, 1,74%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim




Ações:

ABEV3        6,96% 
CIEL3          1,86
GRND3       7,38%
ITUB3       10,73%
LEVE3        2,00%
LREN3        8,41%
MDIA3         9,08%
PSSA3        3,95%
TAEE11     10,37%
VALE5       16,63% 
WEGE3     22,63%

TD:
NTN-F 010123  13,14
NTN-F 010125  13,52%
NTN-F 010127  15,63%
NTN-F 010129  15,83%
NTN-F 010131  43,88%


Mês muito bom de rentabilidade, sem muitos sobressaltos/novidades na carteira.

Proventos:

- ITUB3    R$0,015/ação


Compras de junho: Porto Seguro (PSSA3).

Proventos previstos para julho:

- ITUB3    R$0,015/ação
Cupons NTN-F    R$48,80/cupom*

* valor bruto

Bom, era isso. Um excelente mês de julho a todos!

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Proventos e Investimentos - Junho 2020

Parcial de junho: 


Carteira 5,44% x 7% Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 0% no mês (4,07%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3    R$0,015/ação


Yield de 0,008% no mês (1,46% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Compras do mês: Porto Seguro.
Bom, era isso. Bom final de junho a todos!

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Fechamento - Maio 2020

Atualização da carteira em 29/05/2020:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 6,30% no mês (Ibovespa 8,57%)
... desvaloriza -11,66% no ano (Ibovespa -24,41%)
... tem uma rentabilidade histórica de 47,28
%
... teve um crescimento do capital de 7,24% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 260,62% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,63% (no ano, 1,45%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 3,87%)
Yield em maio: 0,55% (no ano, 1,75%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim


Ações:

ABEV3        6,75% 
CIEL3          1,81
GRND3       8,04%
ITUB3       10,79%
LEVE3        2,20%
LREN3        8,53%
MDIA3         8,89%
PSSA3        3,49%
TAEE11     11,58%
VALE5       17,34% 
WEGE3     20,58%

TD:
NTN-F 010123  13,26
NTN-F 010125  13,56%
NTN-F 010127  15,63%
NTN-F 010129  15,80%
NTN-F 010131  41,75%

Caso você goste de ouvir uma música enquanto lê o resumo do mês, deixo aqui uma sugestão:

Foo Fighters - The Sky Is A Neighborhood


Cenário nebuloso, o nosso. Aqui as coisas andam iguais, mas o país como um todo piorou bastante.

Olha, nem dá graça comentar a respeito, vou passar direto para a carteira.

Proventos:

- ITUB3    R$0,015/ação
- LREN3  R$0,297/ação*
- GRND3  R$0,125/ação*
- TAEE11 R$0,854/ação*


Compras de maio: Mahle Metal Leve (LEVE3), Grendene (GRND3) e Lojas Renner (LREN3).

Proventos previstos para junho:

- ITUB3    R$0,015/ação

Na última semana de abril começou a divulgação dos balanços do primeiro trimestre de 2020. As divulgações seguirão até a terceira semana de maio.

Segue relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 1t20 (ou sua data de divulgação):

Ambev:              R$ 1,091B
Cielo:                 R$ 166M
Grendene:         R$ 29M
Itaú:                   R$ 1,88B
Lojas Renner    R$ 10M
Metal Leve        R$ 21M
M. Dias Branco R$ 137M
Porto Seguro     R$ 226M
Taesa:               R$ 364M
Vale:                  R$ 984M
Weg:                 R$ 440M

Bom, era isso. Um bom mês de junho a todos, principalmente para quem está na linha de frente.

domingo, 17 de maio de 2020

Proventos e Investimentos - Maio 2020

Parcial de maio: 


Carteira -2,92% x -3,66% Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 0% no mês (4,07%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3    R$0,015/ação
- LREN3  R$0,297/ação*
- GRND3  R$0,125/ação*
- TAEE11 R$0,854/ação*

Yield de 0,63% no mês (1,46% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Compras do mês: o aporte vai, a princípio, para Mahle Metal Leve (LEVE3) e Grendene (GRND3). A depender do momento que entrarem os proventos pendentes, a ideia é comprar um terceiro - até quarto - ativo. Informarei vocês no fechamento de maio.

Bom, era isso. Bom final de maio a todos!

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Fechamento - Abril 2020

Atualização da carteira em 30/04/2020:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 5,14% no mês (Ibovespa 10,25%)
... desvaloriza -17,02% no ano (Ibovespa -30,38%)
... tem uma rentabilidade histórica de 39,02
%
... teve um crescimento do capital de 5,79% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 236,26% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,11% (no ano, 0,83%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 3,87%)
Yield em abril: 0,10% (no ano, 1,21%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim

:

Ações:

ABEV3        6,60% 
CIEL3          1,93
GRND3       8,12%
ITUB3       11,74%
LEVE3        1,86%
LREN3        8,64%
MDIA3         8,56%
PSSA3        3,60%
TAEE11     12,02%
VALE5       15,79% 
WEGE3     21,14%

TD:
NTN-F 010123  13,49
NTN-F 010125  13,72%
NTN-F 010127  15,65%
NTN-F 010129  15,74%
NTN-F 010131  41,40%

Caso você goste de ouvir uma música enquanto lê o resumo do mês, deixo aqui uma sugestão:

Eric Clapton - I'm Still Standing

Eu teria todos os motivos possíveis e imaginários para reclamar do meu mês. Por ter passado 99% do tempo preso em casa... por ter mais serviço agora, no home office, do que antes do isolamento... por ter perdido 3 feriados tão aguardados para poder visitar minha família, que mora em outro Estado... 

Mas seria egoísmo demais. 

Ao fim e ao cabo, sigo empregado, com as contas em dia, bem alimentado e saudável. Recebo notícias dos meus familiares todos os dias pelas redes - e eles também estão todos bem.

Sei que ainda é cedo para acreditar que todos por aqui escaparemos dos perigos desta pandemia, mas nunca é tarde para sermos gratos ao chegarmos ao fim de abril vivendo uma quase normalidade - grande parte dos brasileiros, infelizmente, não podem dizer o mesmo.

Deixo aqui minha torcida para que os próximos meses passem depressa. Que as pessoas ainda tenham tempo de se conscientizar e respeitem o isolamento social. E que uma vacina não tarde a chegar.

Vai passar. O quanto antes, melhor.

E a carteira? bem...

Nesses momentos de aflição, é bom ter um planejamento para seguir. Libera energias para as coisas realmente importantes das nossas vidas. Não posso dizer que ele está no automático, mas posso afirmar que não perdi meu sono - nem meu bom humor - nesses dois últimos meses por causa dela. Vamos aos números!

Proventos:

- ITUB3    R$0,015/ação
- PSSA3   R$1,15/ação*
- MDIA3   R$0,21/ação*

Compras de abril: Mahle Metal Leve (LEVE3), Ambev (ABEV3) e Grendene (GRND3)

Proventos previstos para maio:

- ITUB3    R$0,015/ação
-GRND3  R$0,11/ação*
- LREN3  R$0,29/ação*
- TAEE11 R$0,179/ação

Na última semana de abril começou a divulgação dos balanços do primeiro trimestre de 2020. As divulgações seguirão até a terceira semana de maio.

Segue relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 1t20 (ou sua data de divulgação):

Ambev:              07/05/20
Cielo:                 R$ 166M
Grendene:         14/05/20
Itaú:                   04/05/20
Lojas Renner    21/05/20
Metal Leve        13/05/20
M. Dias Branco 08/05/20
Porto Seguro     04/05/20
Taesa:               14/05/20
Vale:                 R$ 984M
Weg:                 R$ 440M

Bom, era isso. Um bom mês de maio a todos!