quinta-feira, 28 de março de 2024

Fechamento - Março 2024

  Atualização da carteira em 28/03/2024:


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...


... teve uma valorização de 1,19% no mês (Ibovespa -0,70%)
... desvalorizou -1,69% no ano (Ibovespa -4,53%)
... tem uma rentabilidade histórica de 84,25
%
... teve um crescimento do capital de 3,07% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 664,05% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 1,53% (no ano, 1,96%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 3,89%)
Yield em março: 1,34% (no ano, 2,19%)

Já a divisão da carteira ficou assim:




Ações:

ABEV3        5,33% 
B3SA3        6,99% 
GRND3       5,62%
ITUB3        10,41%
LEVE3        8,91%
LREN3        6,64%
MDIA3         8,49%
PSSA3       10,84%
TAEE11       9,35%
VALE5       10,26% 
WEGE3     17,16%

TD:
NTN-F 010125    7,66%
NTN-F 010127    8,71%
NTN-F 010129    8,55%
NTN-F 010131  37,77%
NTN-F 010133  32,18%
NTN-F 010135    5,13%


Mês de muitas mudanças e de constante aprendizado na vida pessoal. Este março demorou 'anos' para passar. Mas reclamação zero a esse respeito.

Com relação à carteira, tampouco tenho do que me queixar; além de ter fechado no positivo, os proventos de março foram quase o dobro daqueles recebidos no mesmo período do ano passado. Aproveitei para comprar vários ativos, inclusive TD.

Vamos aos números!

Proventos:

- ITUB3     R$1,58/ação*
- WEGE3  R$0,409/ação*
- VALE3    R$2,738/ação
- MDIA3    R$0,051/ação*

Compras de março: Taesa, Metal Leve, Vale, M. Dias Branco e NTN-F 010135

Proventos previstos para abril:

- ITUB3   R$0,015/ação*
- LREN3 R$0,127/ação*
- MDIA3 R$0,357/ação*
- B3SA3 R$0,11/ação*
- PSSA3 R$1,199/ação**
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.
**o valor será menor, porque a empresa pagará parcialmente os valores anunciados em 2023, mas a administração teve 'preguicinha' de informar o valor exato por ação.

A partir dos últimos dias de janeiro as empresas listadas na B3 começaram a divulgar seus balanços anuais e, como consequência, do quarto trimestre de 2023. 

Abaixo, listo a relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 4t23 e também o anual:

                               4T23                (2023)
Ambev                 R$4.387B      (R$14,501B)
B3                          R$915M       (R$ 4,131B)
Grendene              R$253M         (R$ 567M)
Itaú                     R$ 9,396B     (R$ 33,389B)
Lojas Renner        R$ 526M         (R$ 976M)
Metal Leve            R$ 154M         (R$ 748M)
M. Dias Branco     R$ 888M         (R$ 341M)
Porto Seguro         R$ 688M      (R$ 2,266B)
Taesa                    R$ 246M       (R$ 1,367B)
Vale                   R$ 11,982B    (R$ 39,940B
)
Weg                      R$ 1,744B     (R$ 5,731B)


Bom, era isso. Um ótimo mês de abril a todos!

sexta-feira, 15 de março de 2024

Proventos e Investimentos - Março 2024

 Parcial de março


Carteira 0,19% x -1,76% Ibovespa 



Proventos: 

Tesouro Direto (cupons) 


Yield de 0% no mês (4,11% no ano)



Ações (dividendos e JCP) 

- ITUB3     R$1,58/ação*
- WEGE3  R$0,409/ação*
- VALE3    R$2,738/ação
- MDIA3    R$0,051/ação*


Yield de 1,57% no mês (2,01% no ano)
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente. 


Compras do mês: Taesa, Metal Leve, Vale e M. Dias Branco.

Bom, era isso. Um ótimo final de março a todos!

quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Fechamento - Fevereiro 2024

  Atualização da carteira em 29/02/2024:


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...


... teve uma valorização de 2,71% no mês (Ibovespa 0,99%)
... desvalorizou -2,92% no ano (Ibovespa -3,84%)
... tem uma rentabilidade histórica de 84,86
%
... teve um crescimento do capital de 3,75% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 641,13% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,007% (no ano, 0,44%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 4,11%)
Yield em fevereiro: 0,006% (no ano, 0,87%)

Já a divisão da carteira ficou assim:





Ações:

ABEV3        5,48% 
B3SA3        7,63% 
GRND3       5,61%
ITUB3        10,40%
LEVE3        9,03%
LREN3        6,33%
MDIA3         8,96%
PSSA3       10,13%
TAEE11       8,91%
VALE5       10,73% 
WEGE3     16,79%

TD:
NTN-F 010125    8,00%
NTN-F 010127    9,13%
NTN-F 010129    9,00%
NTN-F 010131  39,87%
NTN-F 010133  34,00%


Mesmo em ano bissexto fevereiro passa rápido demais. Ainda mais com o Carnaval caindo na metade dele.

Vamos aos números!

Proventos:

ITUB3 R$0,015/ação*

Compras de fevereiro: Porto Seguro, B3.Grendene e M. Dias Branco.

Proventos previstos para março: 

ITUB3      R$1,579/ação*
- WEGE3   R$0,409/ação*
- VALE3     R$2,738/ação*
- MDIA3     R$0,051/ação*
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

A partir dos últimos dias de janeiro as empresas listadas na B3 começaram a divulgar seus balanços anuais e, como consequência, do quarto trimestre de 2023. 

Abaixo, listo a relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 4t23 e também o anual:

                               4T23                (2023)
Ambev                 R$4.387B      (R$14,501B)
B3                          R$915M       (R$ 4,131B)
Grendene              R$253M         (R$ 567M)
Itaú                     R$ 9,396B     (R$ 33,389B)
Lojas Renner      15/03/2024       (R$ 449M)*
Metal Leve          11/03/2024       (R$ 593M)*
M. Dias Branco      R$ 888M       (R$ 341M)
Porto Seguro         R$ 688M      (R$ 2,266B)
Taesa                  07/03/2023     (R$ 1,160B)*
Vale                   R$ 11,982B    (R$ 39,940B
)
Weg                      R$ 1,744B     (R$ 5,731B)

*somatório dos primeiros 9 meses.


Bom, era isso. Um ótimo mês de março a todos!

sábado, 17 de fevereiro de 2024

Proventos e Investimentos - Fevereiro 2024

 Parcial de fevereiro


Carteira -0,62% x 0,76% Ibovespa 



Proventos: 

Tesouro Direto (cupons) 


Yield de 0% no mês (4,11% no ano)



Ações (dividendos e JCP) 

- ITUB3     R$0,015/ação*

Yield de 0,007% no mês (0,45% no ano)
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente. 


Compras do mês: Ainda não foi feito. Candidatas: Ambev, B3, Grendene, Lojas Renner, Metal Leve, M. Dias Branco, Porto Seguro e Taesa.

Bom, era isso. Um ótimo final de fevereiro a todos!

quarta-feira, 31 de janeiro de 2024

Fechamento - Janeiro 2024

 Atualização da carteira em 31/01/2024:


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...


... teve uma desvalorização de -5,51% no mês (Ibovespa -4,72%)
... desvalorizou -5,51% no ano (Ibovespa -4,72%)
... tem uma rentabilidade histórica de 84,96
%
... teve um crescimento do capital de -5,13% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 614,32% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,44% (no ano, 0,44%)
Yield do TD no mês: 4,11% (no ano, 4,11%)
Yield em janeiro: 0,87% (no ano, 0,87%)

Já a divisão da carteira ficou assim:


Ações:

ABEV3        5,92% 
B3SA3        7,80% 
GRND3       5,97%
ITUB3        10,30%
LEVE3        8,93%
LREN3        6,70%
MDIA3         8,44%
PSSA3        9,54%
TAEE11       9,67%
VALE5       11,31% 
WEGE3     15,42%

TD:
NTN-F 010125    7,95%
NTN-F 010127    9,11%
NTN-F 010129    8,99%
NTN-F 010131  39,88%
NTN-F 010133  34,07%

Saudades do tempo que o ano começava depois do Carnaval.

Ultimamente, ando comemorando a chegada do final de semana.rs

Sem mais delongas, seguem os números!

Proventos:

- Cupons NTN-F  R$39,77/cupom*
- ITUB3                R$0,015/ação*
- B3SA3               R$0,091/ação*
- LREN3              R$0,298/ação*
- TAEE11             R$0,661/ação*

Compras de janeiro (do maior para o menor): Grendene, B3, Ambev e M. Dias Branco.
Proventos previstos para fevereiro: 

- ITUB3 R$0,015/ação*
*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Bom, era isso. Um ótimo mês de fevereiro a todos!

segunda-feira, 15 de janeiro de 2024

Proventos e Investimentos - Janeiro 2024

Parcial de janeiro


Carteira 5,47% x 2,25% Ibovespa 



Proventos: 

Tesouro Direto (cupons) 

- R$39,77/cupom*

Yield de 4,11%* no mês (4,11%* no ano)



Ações (dividendos e JCP) 

- ITUB3    R$0,015/ação*
- B3SA3  R$0,091/ação*
- LREN3 R$0,298/ação*
- TAEE11 R$0,661/ação*

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Yield de 0,45% no mês (0,45% no ano)


Compras do mês: Ainda não foi feito. Provavelmente será feito em Ambev, Grendene e/ou Lojas Renner.

Bom, era isso. Um ótimo final de janeiro a todos!

quinta-feira, 4 de janeiro de 2024

Planejamento da carteira - controle, projeção e plano de ação para o primeiro semestre 2024

Desde que estabeleci objetivos para o meu dinheiro, janeiro e julho deixaram de ser meros meses de balanço: eles passaram a ser mais importantes do que isto.

O fechamento do semestre passou a ser um ponto de chegada/partida importante para a análise do planejamento estabelecido.

Como já expus nas postagens anteriores, cujos links podem ser acessados aquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaqui, aquiaqui, aqui, aquiaquiaquiaquiaquiaqui e aqui, a pergunta que me faço nestas horas é: "como estou me saindo?"

Eis a resposta atualizada, tendo por base os dados do 2° semestre de 2023:


Ganhos/Gastos (comparação com 2022)

                               (1° sem)        (2° sem)         (anual)
▲% dos Ganhos:   +33,84%         -2,43%        +12,90%
▲% dos Gastos:    +67,71%       +60,33%       +64,14%

Proporção dos Gastos com relação aos Ganhos:

             (1º sem)       (2° sem)        (anual)  
2023      73,23%        65,99%         69,62%
2022      58,44%        40,16%         47,89%
2021      60,65%        80,46%         71,44%
2020      66,06%        56,58%         61,38%
2019      78,86%        55,52%         66,73%
2018      78,76%        67,14%         72,69%
2017      81,10%        61,56%         69,96%
2016      73,14%        68,47%         70,71%
2015      49,05%        49,20%         49,12%
2014      43,45%        30,71%         35,98%
2013      48,49%        22,37%         33,58%
2012      45,91%        15,52%         27,45%
2011      67,71%        24,09%         40,11%
2010      66,53%        30,70%         44,55%
2009      80,14%        34,32%         51,25%

Meta: 50%

Aportes - proporção dos Aportes com relação aos Ganhos:

            (1º sem)      (2° sem)       (anual)
2023     26,64%        33,88%       30,25%
2022     41,42%        59,71%       51,98%
2021     39,11%        19,34%       28,34%
2020     31,43%        42,26%       36,83%
2019     20,86%        44,22%       32,99%
2018     18,46%        31,73%       25,39%
2017     13,97%        35,84%       26,43%
2016     30,20%        19,73%       24,76%
2015     46,76%        48,74%       47,68%
2014     45,53%        57,84%       52,23%
2013     34,04%        65,88%       52,60%
2012     42,67%        67,89%       56,12% 
2011     16,89%        67,45%       48,36%
2010     26,80%        61,16%       46,93% 
2009     14,36%        59,37%       45,18%

Renda Passiva (Yield) da Carteira:

2023       9,84%
2022       8,21%
2021       9,69%
2020       4,89%
2019       5,98%
2018       6,20%
2017       3,73%
2016       3,51%
2015       4,35%
2014      10,14%
2013      11,82%
2012       9,17%
2011       7,52%
2010       5,00%
2009       8,89%


Meta: 10% 
Uma vez apresentadas as variáveis, passo a comentá-las.


Com relação aos Ganhos:

Depois de ver a renda ativa líquida praticamente dobrar nos últimos dois anos, começo 2024 com a certeza de que receberei 3,46% menos dinheiro que o ano anterior caso permaneça em berço esplêndido.

Assim, incrementar a renda ativa é um dever.



Com relação aos Gastos:

Como o cenário base para os próximos semestres é de estagnação, uma boa forma de contorná-lo é atuar de forma inteligente nas despesas.

Vendo os números produzidos no ano que passou, não aparenta ter sido esta a opção adotada por aqui.rs

No entanto, trataram-se de gastos pontuais que já rendem frutos na nossa qualidade de vida, como já havia explicado no post anterior.

Para 2024 espero retornar à meta de 50% dos ganhos, um cenário viável dentro das despesas esperadas.


Com relação aos Aportes:

O aporte de dinheiro novo no semestre ficou 44,64% abaixo do aplicado no segundo semestre de 2022. No ano, a redução foi de 34,30%.

Ainda assim, ele representou quase 2 anos e meio de aporte planejado. E a nova meta decenal, baseada na quantidade de ações possuídas, passou de 83% em junho para 91,5% em dezembro.

Neste ritmo, acredito que não terei problemas para alcançá-la antes do prazo estipulado (dez/2024).



Com relação ao Yield:

A base de cálculo do Yield aqui apresentado é diferente da que divulgo mensalmente, pois ela leva em conta o patrimônio bruto (preço de compra, declarado no IRPF) do fechamento do ano anterior; já o Yield divulgado mês a mês tem por base o patrimônio bruto (preço de compra) do fechamento do mês em questão.

Em valores absolutos, houve um crescimento de 71,62% nos proventos recebidos quando comparados ao segundo semestre de 2022 (49,43% no ano).

Obrigado, Grendene e Metal Leve.

Outro ponto a ser destacado com relação aos proventos recebidos é que eles corresponderam a 54,22% dos Gastos no semestre (49,90% no ano).

Mas o mais legal é que o reinvestimento da renda passiva vem ganhando corpo. Este semestre ele representou 51,37% do capital investido (53,45% no ano). 

Em outras palavras, mesmo aportando acima do planejado, ainda assim a carteira foi responsável pela maior parte do dinheiro novo.

Isso vem sendo fundamental para turbinar não apenas os aportes, mas a própria renda passiva dos próximos semestres, já que os proventos são recebidos com base na quantidade de ativos possuídos - e eles seguem aumentando.



Acredito ser importante fazer também alguns esclarecimentos.


A meta de crescimento do patrimônio para 2023 é a mesma dos anos anteriores: 30%. No ano ele cresceu 20,35%.

A divisão da carteira para 2023 ficou assim estabelecida: 80% ações e 20% TD. Mesmo aportando dinheiro novo em renda fixa, a diferença entre ambas permaneceu praticamente a mesma (90,94% e 9,06%). 

Nos últimos seis meses de 2023 não houve troca de ativos na carteira, apenas acumulação daqueles que já faziam parte da mesma. Os aportes reforçaram as posições de Ambev, B3, Grendene, Itaú, Lojas Renner, M. Dias Branco, Porto Seguro e Taesa.

Metal Leve segue sem novos aportes desde o primeiro semestre de 2023; Vale, desde 2021; e Weg, desde 2018.

Para o semestre que se inicia já foram reinvestidos os cupons do Tesouro Direto em novas NTN-F 010133. Além disso, prosseguirei com o balanceamento da carteira, nos moldes do que já venho fazendo (aporte + reinvestimento).

Não planejo vender nenhum ativo; a tendência, hoje, é seguir incrementando as posições já possuídas e, havendo uma oportunidade, acrescentar algum(ns) ativo(s) à carteira. 

Bom, era isso. Desejo a todos um excelente 2024!