sábado, 18 de janeiro de 2020

Proventos e Investimentos - Janeiro 2020

Parcial de janeiro: 


Carteira 1,66% x 2,44% Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 4,07%* no mês (4,07%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3 R$0,015/ação 

Yield de 0,008% no mês (0,008% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Compras do mês: NTN-F 010129 e Ambev.

Bom, era isso. Um ótimo final de janeiro a todos!

sábado, 11 de janeiro de 2020

Planejamento da carteira - controle, projeção e plano de ação para o primeiro semestre 2020

Desde que estabeleci objetivos para o meu dinheiro, janeiro e julho deixaram de ser meros meses de balanço: eles passaram a ser mais importantes do que isto.

O fechamento do semestre passou a ser um ponto de chegada/partida importante para a análise do planejamento estabelecido.

Como já expus aquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaquiaqui, aqui e aqui, a pergunta que me faço nestas horas é: "como estou me saindo?"

Eis a resposta atualizada, tendo por base os dados do 2° semestre de 2019:

Ganhos/Gastos (comparação com 2018)

                               (1° sem)        (2° sem)         (anual)
▲% dos Ganhos:    +4,93%         +3,74%         +4,31%
▲% dos Gastos:     +5,07%        -14,21%          -4,24%
*estimativa

Proporção dos Gastos com relação aos Ganhos:

             (1º sem)       (2° sem)        (anual)  
2019      78,86%        55,52%         66,73%
2018      78,76%        67,14%         72,69%
2017      81,10%        61,56%         69,96%
2016      73,14%        68,47%         70,71%
2015      49,05%        49,20%         49,12%
2014      43,45%        30,71%         35,98%
2013      48,49%        22,37%         33,58%
2012      45,91%        15,52%         27,45%
2011      67,71%        24,09%         40,11%
2010      66,53%        30,70%         44,55%
2009      80,14%        34,32%         51,25%
*estimativa

Meta: 50%

Aportes - proporção dos Aportes com relação aos Ganhos:

            (1º sem)      (2° sem)       (anual)
2019     20,86%        44,22%       32,99%
2018     18,46%        31,73%       25,39%
2017     13,97%        35,84%       26,43%
2016     30,20%        19,73%       24,76%
2015     46,76%        48,74%       47,68%
2014     45,53%        57,84%       52,23%
2013     34,04%        65,88%       52,60%
2012     42,67%        67,89%       56,12% 
2011     16,89%        67,45%       48,36%
2010     26,80%        61,16%       46,93% 
2009     14,36%        59,37%       45,18%

Renda Passiva (Yield) da Carteira:

2019       5,98%
2018       6,20%
2017       3,73%
2016       3,51%
2015       4,35%
2014      10,14%
2013      11,82%
2012       9,17%
2011       7,52%
2010       5,00%
2009       8,89%


Meta: 5% 
Uma vez apresentadas as variáveis, passo a comentá-las.

Com relação aos Ganhos:

Como já dito nos planejamentos anteriores, a previsão inicial era de queda na renda ativa em 2019. Este fato, aliado ao aumento dos gastos e à consequente redução dos aportes, fez com que uma luz amarela se acendesse... bem na minha cara.

Assim, posso afirmar que a variação positiva da renda ativa em 2019 foi uma grande vitória pessoal, pois  provou que um bom planejamento prevê os problemas a tempo dos mesmos serem contornados.

Agora o desafio segue na manutenção deste crescimento, uma vez que a projeção aponta um 2020 novamente desafiador.

Com relação aos Gastos:

Em um período reconhecidamente desafiador no incremento da renda ativa, o controle das despesas fez toda a diferença: percentualmente, fecho 2019 na menor relação ganhos/gastos desde 2015; já em valores absolutos, fecho o ano com uma redução de quase 15% quando comparado a 2018.

Agora é manter o foco, buscando otimizar ainda mais as despesas pessoais e retornar ao patamar de anos anteriores, mas sem grandes privações - a exemplo do que foi este ano. 

Com relação aos Aportes:

O aporte semestral ficou 68,31% acima do planejado e, no histórico, 0,51% acima da meta decenal (2015-2024).

Fruto direto do ajuste dos gastos nos dois últimos semestres, o retorno dos aportes ao planejamento de longo prazo demonstra o comprometimento necessário para se alcançar os objetivos financeiros - inclusive para que se tenha alguma chance de antecipá-los. A conferir.

Com relação ao Yield:

A base de cálculo do Yield aqui apresentado é diferente da que divulgo mensalmente, pois ela leva em conta o patrimônio bruto (preço de compra) do fechamento do ano anterior; já o Yield divulgado mês a mês tem por base o patrimônio bruto (preço de compra) do fechamento do mês em questão.

Em valores absolutos, houve uma queda de 20,21% nos proventos recebidos quando comparados ao segundo semestre de 2018. Ainda assim, o resultado final é 7,91% superior ao do ano passado inteiro - e 5,84% superior a 2014, até então o meu melhor ano de renda passiva.

Outro ponto a ser destacado com relação aos proventos recebidos é que eles corresponderam a 30,90% dos Gastos no semestre (35,70% no ano).

Um crescimento expressivo com relação aos anos anteriores, mas ainda distante do cenário existente em 2014, onde esses mesmos valores foram capazes de arcar com a totalidade das despesas anuais.


Acredito ser importante fazer também alguns esclarecimentos.

A meta de crescimento do patrimônio para 2020 é a mesma dos anos anteriores: 30%. No ano que passou ele cresceu 34,96%.

A divisão da carteira para 2020 ficou assim estabelecida: 80% Ações e 20% TD. Em dezembro de 2019 ela se distanciou ainda mais disso (89,14% e 10,86%).

Sei que a concentração em RV é uma opção arriscada, mas é um risco que o tamanho ainda reduzido do meu patrimônio e minha pouca idade me encorajam a correr. 

Já o momento da bolsa melhorou mais do que a minha margem de tolerância, e isso abriu espaço para retomar os aportes na renda fixa a partir de 2020.

Nos últimos seis meses de 2019 não houve acréscimos à carteira, apenas rebalanceamentos. Os aportes reforçaram as posições de M. Dias Branco, Porto Seguro, Taesa e Vale.

Weg e Cielo foram as únicas ações que não receberam aportes em 2019.

Para o próximo semestre já foram reinvestidos os cupons do TD (NTN-F 010129) e prosseguirei com o balanceamento da carteira, nos moldes do que já venho fazendo (aporte + reinvestimento). 

Não planejo vender nenhum ativo, mas estou ciente de que pelo menos parte do aporte mensal será destinado para a renda fixa. 

Bom, era isso. Desejo a todos um ótimo primeiro semestre!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Fechamento - Dezembro 2019

Atualização da carteira em 30/12/2019:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 8,37% no mês (Ibovespa 6,84%)
... valorizou 25,77% no ano (Ibovespa 31,58%)
... tem uma rentabilidade histórica de 69,04
%
... teve um crescimento do capital de 8,86% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 299,95% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,33% (no ano, 4,96%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 8,16%*)
Yield em dezembro: 0,29% (no ano, 5,33%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:


Ações:

ABEV3       8,02% 
CIEL3         3,24
GRND3     11,34%
ITUB3       13,76%
LREN3      10,26%
MDIA3        8,19%
PSSA3        4,04%
TAEE11     11,05%
VALE5      15,22% 
WEGE3    14,88%

TD:
NTN-F 010121 40,66% 
NTN-F 010123 14,27
NTN-F 010125 14,70%
NTN-F 010127 17,18%
NTN-F 010129 13,19%


Caso você goste de ouvir uma música enquanto lê o resumo do mês, deixo aqui uma sugestão: 


Silverchair - Miss You Love


Mais um ano que termina. Mais um ano que começa. E que aparenta passar cada vez mais rápido.

Eu até pensei em fazer algumas divagações acerca da passagem dos anos, mas optei por ser íntegro ao objetivo do blog. Tratemos de finanças, não de lamentações de um blogueiro cada dia mais consciente de que está envelhecendo.rs

Vamos aos números!

Proventos:

- ITUB3    R$ 0,015/ação
- ABEV3  R$ 0,417/ação*
- TAEE11 R$0,153/ação*

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Compras do mês: Porto Seguro e M. Dias Branco.


Proventos previstos para janeiro:

ITUB3 R$0,015/ação 
Cupons NTN-F: R$48,80/cupom**

**valor bruto, sem desconto do IR correspondente

Agora é oficial: 2019 foi o melhor ano de proventos da carteira em números absolutos! 

Graças aos pagamento de Ambev e Taesa, a carteira superou em 5,84% o valor alcançado em 2014!

A meta agora é superar a marca de 2018 unicamente com a renda passiva, porque em 2019 a marca só foi alcançada pela venda das ações da Portobello, em maio. 

Levando em consideração que 15% da carteira não distribuiu dividendos este ano (Vale), acredito que tenha sido não só um excelente resultado, mas também que a carteira tem tudo para apresentar um resultado ainda melhor em 2020. A conferir.

Bom, era isso. Desejo um feliz e próspero ano novo a todos!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Proventos e Investimentos - Dezembro 2019

Parcial de dezembro: 


Carteira 7,08% x 4,00Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 0% no mês (8,16%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3    R$ 0,015/ação
- ABEV3  R$ 0,417/ação*
- TAEE11 R$0,153/ação*

Yield de 0,33% no mês (3,50%** no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.
**contando o lucro da venda das PTBL3, 4,99% no anual.


Compras do mês: Porto Seguro e M. Dias Branco.

Bom, era isso. Um ótimo final de ano a todos!

sábado, 30 de novembro de 2019

Fechamento - Novembro 2019

Atualização da carteira em 29/11/2019:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 2,82% no mês (Ibovespa 0,79%)
... valorizou 16,15% no ano (Ibovespa 22,96%)
... tem uma rentabilidade histórica de 56,38
%
... teve um crescimento do capital de 3,75% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 267,40% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,41% (no ano, 4,69%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 8,16%*)
Yield em novembro: 0,36% (no ano, 5,10%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:



Ações:

ABEV3       8,57% 
CIEL3         3,33
GRND3     10,97%
ITUB3       14,22%
LREN3      10,45%
MDIA3        7,46%
PSSA3        3,70%
TAEE11     11,08%
VALE5      15,78% 
WEGE3    14,44%

TD:
NTN-F 010121 40,68% 
NTN-F 010123 14,27
NTN-F 010125 14,71%
NTN-F 010127 17,20%
NTN-F 010129 13,14%


Caso você goste de ouvir uma música enquanto lê o resumo do mês, deixo aqui uma sugestão: 


Lazy - Jimmy Barnes & Joe Bonamassa

Portas em automático!

2019 foi um ano recheado de desafios, muito trabalho e intenso aprendizado. Sinto que cresci muito profissionalmente, e que isso possibilitará um 2020 ainda mais recompensador.

Mas antes de 2020 começar ainda teremos dezembro inteirinho. E o dinheiro, ao contrário de mim, não precisa tirar férias.

Agora, se um mês vai ser suficiente para a carteira alcançar o Ibovespa em 2019? Bem... milagres acontecem.rs


Proventos:


- ITUB3    R$ 0,015/ação
- TAEE11 R$0,51/ação*
- GRND3 R$0,10/ação
- CIEL3    R$0,037/ação*


Compras do mês: M. Dias Branco e Porto Seguro.


Proventos previstos para dezembro:

- ITUB3      R$ 0,015/ação

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Sigo na expectativa de alcançar a renda passiva de 2014. 

No momento, faltam 0,17% de renda passiva para que isso ocorra - em valores absolutos, bastaria que Itaú distribuísse os R$0,037 centavos provisionados para abril agora, em dezembro. 

Na prática, bastaria a Ambev pagar proventos, coisa que ainda não fez este ano. Caixa para isso ela tem de sobra.

Bom, era isso. Um ótimo mês de dezembro a todos!

sábado, 16 de novembro de 2019

Proventos e Investimentos - Novembro 2019

Parcial de novembro: 


Carteira 0,72% x -0,61Ibovespa 

Proventos:

Tesouro Direto (cupons)

Yield de 0% no mês (8,16%* no ano)

Ações (dividendos e JCP)

- ITUB3    R$ 0,015/ação
- TAEE11 R$0,51/ação*
- GRND3 R$0,10/ação
- CIEL3    R$0,037/ação*

Yield de 0,41% no mês (3,22%** no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.
**contando o lucro da venda das PTBL3, 4,73% no anual.


Compras do mês: M. Dias Branco e Porto Seguro.

Bom, era isso. Um ótimo final de novembro a todos!

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Fechamento - Outubro 2019

Atualização da carteira em 31/10/2019:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma valorização de 1,85% no mês (Ibovespa 2,36%)
... valorizou 13,09% no ano (Ibovespa 21,99%)
... tem uma rentabilidade histórica de 52,81
%
... teve um crescimento do capital de 2,61% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 254,12% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,009% (no ano, 4,32%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 8,16%*)
Yield em outubro: 0,007% (no ano, 4,78%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:



Ações:

ABEV3       8,58% 
CIEL3         3,36
GRND3     10,58%
ITUB3       15,38%
LREN3      10,64%
MDIA3        8,38%
PSSA3        3,26%
TAEE11     11,76%
VALE5      15,49% 
WEGE3    12,57%

TD:
NTN-F 010121 40,24% 
NTN-F 010123 14,25
NTN-F 010125 14,79%
NTN-F 010127 17,39%
NTN-F 010129 13,33%


Proventos:


- ITUB3      R$ 0,015/ação


Aporte: M. Dias Branco e Taesa.


Proventos previstos para novembro:

- ITUB3      R$ 0,015/ação
- GRND3   R$ 0,10/ação
- CIEL3      R$0,037/ação*

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Nos últimos dias de outubro começou a divulgação dos balanços do terceiro trimestre de 2019. As divulgações seguirão até a segunda quinzena de novembro.

Segue a relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 3t19:

Ambev:              R$ 2,604B   (R$ 7,969B)
Cielo:                 R$ 408M     (R$ 1,478B)
Grendene:         R$ 167M     (R$ 286M)
Itaú:                   04/11/2019  (R$ 13,593B)
Lojas Renner     R$ 189M     (R$ 585M)
M. Dias Branco  08/11/2019 (R$ 160M)
Porto Seguro     04/11/2018  (R$ 676M)
Taesa:                13/11/2018 (R$ 467M)
Vale:                  R$ 6,461B   (-R$ 504M)
Weg:                  R$ 425M     (R$ 1,128B)

Bom, era isso. Um excelente mês de novembro a todos!