quarta-feira, 30 de maio de 2018

Fechamento - Maio 2018

Atualização da carteira em 30/05/2018:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...

 

... teve uma desvalorização de -6,92% no mês (Ibovespa -10,87%)
... desvalorizou -4,41% no ano (Ibovespa 0,46%)
... tem uma rentabilidade histórica de 31,72
% (jan/2013)
... teve um crescimento do capital de -6,48% no mês
... tem um crescimento do capital histórico de 168,85% (jan/2013).

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 1,22% (no ano, 2,82%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 4,28%*)
Yield em maio: 1,07% (no ano, 3,00%)


 
Já a divisão da carteira ficou assim:







Ações:
ABEV3      10,17% 
CIEL3         9,30
GRND3      9,42%
ITUB3       11,10%
LREN3        2,87%
MDIA3        8,81%
PTBL3        5,99%
TAEE11      9,94%
VALE5      21,58% 
WEGE3    10,82%

TD:
NTN-F 010121 50,64% 
NTN-F 010123 16,23
NTN-F 010125 15,68%
NTN-F 010127 17,45%


Paralizações. Protestos. Em alguns locais, anarquia.

Basta algo fora do lugar que todo o país mergulha de cabeça num completo vazio. Mesquinhez de alguns, ganância de outros... e egoísmo, puro e simples, de muitos. 

É de chorar, viu?

Mas voltemos ao que interessa... 

Maio foi um mês excepcional na renda passiva. O melhor da série histórica, a exemplo de março.

Com as despesas domésticas sob controle, este extra turbinou meu aporte, que pôde ser um pouco mais pulverizado que o de costume.

De quebra, o Itaú informou, em fato relevante, que pretende desdobrar suas ações numa proporção de 2:1, mantendo os proventos mensais nos patamares atuais.

A notícia é boa por dois motivos: primeiro porque aumenta a quantidade de ações na carteira, coia que não ocorria desde 2016 frente a sua forte valorização; segundo porque a empresa garantiu os proventos mínimos obrigatórios em R$0,015/ação, o que na prática irá aumentar em 50% os proventos que recebo todo primeiro dia útil do mês.

Como nem tudo são flores, a rentabilidade mensal foi sofrível, em grande parte fruto da manifestação dos caminhoneiros, e em pequena parte fruto da divulgação de resultados do 1t18.

A carteira recuou quase 6 meses no tempo, retornando aos níveis observados entre novembro e dezembro de 2017.

Preocupa? Um pouco... mas renda variável tem dessas mesmo.


Proventos:

- ITUB3 R$0,015/ação
- GRND3 R$0,73/ação*
- PTBL3 R$0,13/ação*
- TAEE11 R$1,17/ação*

Yield de 1,22% no mês (2,82% no ano)

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Compras de maio: Lojas Renner (LREN3), M. Dias Branco (MDIA3) e Portobello (PTBL3)

Proventos previstos para junho: 

ITUB3  (R$0,015/ação) 

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Também existe previsão de desmembramento de Grendene para junho, na proporção de 1:3.

Há quem não goste desses desmembramentos e bonificações. Para mim, quanto mais ações tiver, melhor. Se não precisar tirar do bolso para conseguir mais, então... melhor ainda.

Na última semana de abril começou a divulgação dos balanços do primeiro trimestre de 2018. As divulgações seguirão até a segunda semana de maio.

Segue relação dos ativos da minha carteira de ações com seus respectivos resultados do 1t18:

Ambev:              R$ 2,598B
Cielo:                 R$ 1,057B
Grendene:         R$ 156M
Itaú:                   R$ 6,557B
Lojas Renner     R$ 111M
M. Dias Branco R$ 140M
Portobello:         R$ 7M
Taesa:               R$ 217M
Vale:                 R$ 5,174B
Weg:                 R$ 288M

Bom, era isso. Um ótimo mês de junho a todos!

4 comentários:

  1. Mercado esse mês não perdoou ninguém, kkkk.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, AdP. Bateu tão forte que ainda estou anestesiado.rs

      Abraço!

      Excluir
  2. Olááá LdL !! esse mês foi abençoado para a Renda Passiva !! várias empresas pagando Dividendos, JSCP e os FIIs em dia, essa foia minha alegria neste mês !! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em terra de pânico, quem tem planejamento é rei.rs

      Abraço!

      Excluir